Eventos

Nós Sempre Teremos Paris no Sesc Palladium




"Teatro em Movimento" traz a BH os atores Françoise Forton e Aloísio de Abreu, com o musical romântico "Nós Sempre Teremos Paris".

Única apresentação no dia 1º/12, no Sesc Palladium


A comédia musical traz de volta o repertório francês amoroso do século vinte, com música ao vivo, depois de um ano em cartaz no Rio de Janeiro 
- E nós?, pergunta, desolada, Ilsa Lund (Ingrid Bergman). Rick Blaine (Humphrey Bogart), um americano exilado da II Guerra Mundial, olhos vidrados na mocinha, responde: - Nós sempre teremos Paris. A frase, eternizada no filme "Casablanca", é um marco na história do cinema mundial e inspirou o título do espetáculo escrito pelo jornalista Artur Xexéo, interpretada por Françoise Forton e Aloisio de Abreu e dirigido por Jacqueline Laurence. Depois de um ano de sucesso de público e crítica no Rio de Janeiro, e passagens por Curitiba, Brasília e Vitória, a comédia musical chega a BH em única apresentação, no dia no dia 1º de dezembro, no Sesc Palladium, por intermédio do "Teatro em Movimento", viabilizado com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com o patrocínio da FIAT, fechando a programação de 2013. 
Ambientado num café no Boulevard Montparnasse, a comédia romântica "Nós Sempre Teremos Paris" conta a história de encontros e desencontros de um casal, embalada por canções francesas do século XX. Acompanhados pelos músicos Roberto de Brito, Jovi e Itamar Assiere, os atores cantam melodias como "C'est si bom", "La vie en rose" e até uma versão de "Garota de Ipanema". 
No espetáculo, o casal, chamados de ele e ela na montagem, teve um encontro inesperado durante uma viagem de turismo a Paris. E, durante uma tarde juntos, perceberam que tinham vários interesses em comum. Vinte anos depois, sem contato algum durante esse período,  voltam ao mesmo café de Paris onde se conheceram na expectativa de um reencontro e de, enfim, retomar o que poderia ser uma história de amor. No período em que estiveram afastados um do outro, mantiveram uma ligação com aquela tarde através de clássicos que formam a trilha sonora de suas vidas em "Nós Sempre Teremos Paris". 
A montagem foi produzida pela Barata Comunicação. "Sempre acreditei no sucesso de produzir um musical intimista que tivesse a canção francesa do século XX como protagonista. Desde sua primeira apresentação deu para perceber que a peça atinge o coração da plateia", afirma Artur Xexéo. Responsável também pela escolha do repertório e pelas versões, Xexéo completa que o texto foi escrito ao mesmo tempo em que eu escolhia as canções. "De alguma maneira elas dormiam no meu inconsciente. Espero que o público mais jovem perceba que o romantismo fica muito mais romântico em francês". A diretora, Jacqueline Laurence acredita que "a música francesa provoca um encantamento no público e acho que "Nós Sempre Teremos Paris" promove esse encontro entre as duas culturas de forma simples e elegante". Na direção musical da peça está Marcelo Nogueira que comenta sobre a função das canções no espetáculo: "não é um show, a música conta a história com o texto. A nossa preocupação é com a interpretação, com a construção disso dentro da cena. A peça é uma história musicada". Com percussão, violão, baixo, piano e acordeon, "Nós Sempre Teremos Paris" traz uma instrumentação mais intimista aliada às músicas que climatizam a cena. Danilo Timm é o preparador vocal da peça.
Françoise Forton, que está completando 45 anos de carreira e atualmente faz parte do elenco da novela "Amor à Vida", da TV Globo, escrita por Walcyr Carrasco, revela: "meu pai era francês e minha mãe falava em francês comigo em casa, então é afetivamente um resgate muito carinhoso de uma época da minha vida. Nós sempre teremos Paris é uma história delicada e absolutamente possível". Nos palcos, ao lado da atriz, está Aloisio de Abreu. "Na verdade a linguagem do musical sempre esteve comigo, é um formato que me agrada e me sinto muito à vontade. Estou adorando fazer Nós sempre teremos Paris, é um espetáculo intimista e romântico. A comédia romântica é um terreno que piso com prazer". "Uma peça deliciosa. Simples e charmoso, texto de Artur Xexéo sobre encontros e desencontros de um casal, dirigido por Jacqueline Laurence, deixa um gostinho de 'quero mais'" -  Bárbara Heliodora - O Globo   



FICHA TÉCNICA 

Texto: Artur Xexéo / Direção: Jacqueline Laurence / Elenco: Françoise Forton e Aloisio de Abreu - Stand-in: Miriam Virna / Músicos: Roberto de Brito - Violão / Baixo / Jovi  - Percussão / Itamar Assiere - Piano e Acordeon / Direção musical: Marcelo Nogueira / Assistência de direção musical: Camila Dias / Preparação vocal: Danilo Timm / Figurinos: Valéria Stefani / Cenografia: Massimo Esposito / Iluminação: Adriana Ortiz / Fotos: Nana Moraes / Programação Visual e Vídeo: Luiz Stein Design / Coordenação de produção - Elaine Moreira / Produção Executiva - Bruno Luzes / Assistente de produção - Luisa Viotti / Produção de Montagem: Barata Comunicação / Produção Local: Rubim Produções / Realização em Belo Horizonte: Teatro em Movimento, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com patrocínio da FIAT.   


Serviço:   "Nós Sempre Teremos Paris", de Artur Xexéo 

Classificação: 10 anos 
  Duração: 55 minutos 

Dias/Horários: única apresentação em 01 de dezembro, domingo, às 19h. 

Ingressos: Plateia I: R$ 50,00 e R$ 25,00 / Plateia II: R$ 40,00 e R$ 25,00/ Plateia III: R$ 20,00 e R$ 10,00 

Venda online: www.ingresso.com / 4003.2330 

Local: Sesc Palladium - Av. Augusto de Lima, 420, Centro - BH - estacionamento no local 

Informações: (31) 3279.1500 - www.teatroemmovimento.art.br - www.facebook.com/teatroemmovimento   



TEATRO EM MOVIMENTO 


O projeto Teatro em Movimento, coordenado pela Rubim Produções, de Tatyana Rubim, foi criado há 12 anos, com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para outros Estados e também pequenas cidades. Desde sua criação, foram mais de 213 peças e shows que somam mais de 640 apresentações. Inicialmente, atuando em Minas Gerais e seu entorno, o projeto levou à capital mineira e algumas cidades do interior, espetáculos com peso nacional, tendo no elenco atores como Bibi Ferreira, Thiago Lacerda, Vladimir Brichta, Cisa Guimarães, Mateus Solano, Glória Menezes, Antônio Fagundes, Nicete Bruno, Paulo Goulart, Marco Nanini, Luana Piovani, Lilia Cabral, Rodrigo Lombardi, Cláudia Raia, Marisa Orth, Renata Sorrah e muitos outros.  Dentre os espetáculos, que o projeto deslocou para a capital mineira, estão "Hamlet", "Doidas e Santas", "Esta Criança" e os premiados musicais "Gonzagão - a Lenda", "Bibi Ferreira - Histórias e Canções", "Farsa da Boa Preguiça", "Beatles Num Céu de Diamantes", "New York, New York", etc. O projeto também já atuou em diversos Estados brasileiros, como São Luiz (MA), Vitória (ES) e Aracajú (SE).  


Em Minas Gerais, além de Belo Horizonte, o projeto atua em Nova Lima, Betim e Araxá. Os resultados do projeto vão além da inclusão das cidades na circulação das montagens. A iniciativa possibilita a formação de um espectador mais crítico e de um público mais preparado e habituado a lotar as salas dos teatros. A ideia é consolidar o hábito de ir ao teatro e fomentar a cultura das artes cênicas, por isso os espetáculos acontecem ao longo do ano e não concentrados em um curto período como nos festivais. O teatro, sendo um agente de transformação social, é capaz de atuar como um difusor de ideias e de cultura podendo ser usado como um instrumento de comunicação. Para ratificar a potencialidade de transformação social e cultural do teatro e colocar em prática os objetivos do projeto, o Teatro em Movimento ainda promove sempre que possível oficinas gratuitas, palestras e workshops para profissionais da área e interessados. Dessa forma, cria-se uma rede de circulação de informação fortalecendo a possibilidade de sustentabilidade do setor cultural.   

Autor / Fonte:Jozane Faleiro Assessora de Comunicação/Imprensa




Comentários