Notícias

Festival Dois Pontos

 

 

Começa no dia 1º de abril e vai até o dia 28, no Rio de Janeiro (RJ), o Festival Dois Pontos.

 

Formado por atrações que envolvem o teatro, a dança, a música e as artes visuais, o Festival Dois Pontos integra a programação do Ano de Portugal no Brasil, e com isso propõe uma aproximação artística atual através de discussões e trabalhos contemporâneos entre artistas brasileiros e portugueses no diálogo com suas culturas.

 

O Festival é  resultado de um projeto conjunto de seis residências artísticas de espaços municipais do Rio de Janeiro – ÁGORA (Teatro Maria Clara Machado), CÂMBIO (Teatro Café Pequeno), Projeto_ENTRE (ECM Sérgio Porto), NO LUGAR (Teatro Ipanema), Os Ciclomáticos (Ziembinski) e VEM! (Gonzaguinha).

 

Segundo os organizadores, O Ano de Portugal no Brasil é uma importante oportunidade de intercâmbio real e contemporâneo entre os dois países, uma chance rara de quebrar com estigmas mútuos. O projeto foi desenvolvido, a partir de uma curadoria apurada, para elencar projetos artísticos que estejam sendo desenvolvidos em colaborações variadas entre os dois países, sempre com o propósito de trazer e possibilitar a execução e a exibição de trabalhos importantes para ambos os mercados culturais.

 

Os “dois pontos” focados são também parte de uma triangulação maior: a África e seus países de língua portuguesa podem e devem ser lembrados no Ano de Portugal no Brasil. Por isso, criando, ainda que em pequena escala, um olhar para alguns artistas africanos.

 

A abertura do Festival Dois Pontos será com o espetáculo teatral “As Barcas”, do lisboeta João Garcia Miguel, e que será  apresentado no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (residência artística Projeto_ENTRE), nos dias 1, 2 e 3 de abril -  às 21h, segunda e terça-feira, e às 20h, quarta-feira. A peça regressa no tema das viagens inspirado em um conjunto de textos de Gil Vicente.

 

Na programação de dança do Festival Dois Pontos, o público poderá conferir:

 

Nos dias 18, 19 e 20 de abril será apresentado “Encontro e a Vontade de Querer Fazer Acontecer”, de Guilherme Garrido, no Teatro Café Pequeno. “Encontro” propõe a criação de pequenos mecanismos performativos relacionados com a voz, o vídeo, a luz e a música tendo como pano de fundo a situação do encontro. De um encontro como um date, do encontro como um finding something, de um encontro como um “encontrão” de corpo (em Portugal, dar um encontrão significar esbarrar em alguém), do encontro com a família, com o amor... do encontro como um desejo de descobrir o outro.  Cada artista convidado terá o desafiador período de uma semana para desenvolver um objeto artístico, onde as premissas serão o querer estar junto, o querer fazer parte da vida de alguém, o desejo de pertencer e acreditar em algo, de transformar e traduzir sentimentos de amor, ternura, disputa, rivalidade e intimidade em pequenos shows montados em um formato de cabaret. Com um período reduzido de tempo, haverá pouco espaço para os julgamentos e para as constantes barreiras que se impõem numa criação artística tradicional, dando mais liberdade ao processo.

 

No Espaço Sérgio Porto, João Lima e Vítor Roriz apresentam o projeto “Ilusionistas”, nos dias 19, 20 e 21 de abril. Espetáculo intrigante, Ilusionistas propõe uma experiência através da linguagem e da representação, entre o ver e o ser visto e a incessante construção do eu e do outro. O espaço e a cena se revelam em constante transformação. Contemplado com o Prêmio Funarte Klauss Vianna, estreou no dia 2 de agosto de 2012, tendo em seguida uma bem sucedida temporada de 12 apresentações no Teatro Hermilo Borba Filho, em Recife, uma em Barcelona, e já conta com apresentações agendadas no Rio de Janeiro e em Lisboa.

 

Neste mesmo espaço Micheline Torres e Rita Natálio apresentam o espetáculo Museu Encantador, dias 26, 27 e 28 de abril. Um projeto de natureza coletiva e colaborativa que reflete sobre os vínculos culturais entre Portugal e o Brasil  iniciado por Rita Natálio em 2012 e que se estende até 2014. “Como Micheline Torres e Rita Natálio se juntaram num dia de março para entender o que é encantamento” é a primeira residência de pesquisa do projeto, partindo do encontro de Rita e Micheline para refletir sobre encantamento, fascínio, espanto, deslumbramento, afeto, estranhamento. Cultura e memória guiam este diálogo inacabado e simbólico das duas artistas, que atravessam uma enciclopédia do infinito em uma casa provisória, conversando com obras de autores brasileiros como Arthur Omar, Bispo do Rosário, Qorpo Santo, Eduardo Viveiros de Castro e autores portugueses como Herberto Helder, João César Monteiro, Miguel Gomes, José Gil.

 

 

Serviço:
Festival Dois Pontos

De 01 a 28 de abril - Rio de Janeiro - RJ


Espetáculos de Dança

 

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – residência artística Projeto_ENTRE
End: Rua Humaitá, 163 – Humaitá - Tel: (21) 2535-3846 - Capacidade: 98 lugares

 

Teatro Café Pequeno – residência artística CÂMBIO
End: Av. Ataulfo de Paiva, 269 – Leblon - Tel: (21) 2294-4480  - Capacidade: 80 lugares


Autor / Fonte:Adilson Marcelino




Comentários