Eventos

Espetáculo sobre a trajetória de Clementina de Jesus chega a BH

“CLEMENTINA, CADÊ VOCÊ?”

ESPETÁCULO SOBRE A TRAJETÓRIA DE CLEMENTINA DE JESUS, UMA DAS VOZES MAIS IMPORTANTES DO SAMBA, CHEGA A BELO HORIZONTE, DIAS 7 E 8 DE MAIO, NO THEATRO DE CAMARA BRASIL VALOUREC

Considerado um dos 10 melhores espetáculos de 2013 por Daniel Schenker, pesquisador e crítico teatral, e indicado ao Prêmio Questão de Crítica nas categorias melhor atriz (Ana Carbatti) e melhor iluminação (Renato Machado), o musical “Clementina, cadê você?”, que através de uma narrativa não linear conta a vida de Clementina de Jesus, realizou sua primeira temporada no Teatro Laura Alvim nos meses de outubro e novembro de 2013. Em fevereiro de 2014 realizou temporada popular no Teatro João Caetano alcançando também um grande sucesso de crítica e público. Em maio de 2014, o espetáculo participou do Festival Teatro na Contramão no Sesc Jacarepaguá, em junho do Festival X Tudo Cultural do Sesi e em agosto do Festival de Inverno do Sesc, realizando apresentações em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo. Em novembro participou do Circuito Sesc Consciência Negra, realizando apresentações nas Unidades Nova Iguaçu, São Gonçalo, Tijuca e Niterói. Em 2015, o espetáculo realizou temporada no Teatro Dulcina, compondo a programação do projeto Dulcina em Foco, atraindo novamente a atenção e o carinho do público do Rio. Atualmente, o espetáculo realiza turnê pelas cidades de Niterói, Vitória, Belo Horizonte, Campinas e São José do Rio Preto, através do patrocínio dos Correios e da realização do Ministério da Cultura.

Na capital mineira, a montagem faz quatro apresentações, dias 7 e 8 de maio, sábado e domingo, sempre às 18h e 20h, no Theatro de Câmara Brasil Vallourec.

O musical conta com texto de Pedro Murad, direção de Duda Maia, além de Ana Carbatti interpretando a personagem título ao lado de 5 atores/músicos Z Bruno Barreto ou Pedro Miranda, Bruno Quixotte, Sergio Kauffmann, Vidal Assis e Wendell Bendelack.

Clementina de Jesus da Silva, neta de escravos, doméstica e descoberta como cantora aos 63 anos de idade.  Há 50 anos Clementina tornava-se uma das mais importantes sambistas, considerada rainha do partido alto. “Busquei a fala da Clementina com textos publicados em jornais. Costurei uma dramaturgia de reminiscências, de lembranças que narram a trajetória pessoal e artística da sambista”, explica o autor Pedro Murad que completa: “Clementina não é o Brasil moderno, nem o Brasil Arcaico. Essa grande artista está na fronteira. Ela é uma personagem de transição do país, que chama muito atenção. Clementina representa o negro urbano descendente de escravos, a cultura negra carioca. A peça mostra como essa preta velha enxerga o Brasil do século XX”.

A peça mostra desde a infância de Clementina em Valença (Estado do Rio) até o descobrimento da cantora pelo produtor Hermínio Bello de Carvalho; o reconhecimento tardio da crítica e público; passando pela Portela; rodas de samba; Mangueira; Rosa de Ouro; as festas nas Igrejas da Penha e São Jorge. “O fascinante na personagem é a simplicidade em que ela imprimia em todas as atitudes e momentos”, descreve Duda Maia, que 12 anos foi a responsável pela direção de movimento e assistência de direção das encenações de João Falcão, como: Clandestinos, Gonzagão, O Pequeno Príncipe, Ensina me a Viver, entre outros. Também trabalhou com Aderbal Feire Filho e André Paes Leme. “Nasci no Rio, mas morei em Recife desde pequena. Voltei para a minha cidade aos 19 anos. Em 2000 trabalhava na peça Lisbela e o Prisioneiro, quando o Guel Arraes me apresentou ao João. Na época, assisti A Máquina, enlouqueci. Desde então não me separei profissionalmente do João”, revela a diretora.

Na peça os atores/músicos fazem todos os personagens que passaram pela vida da sambista. O Albino Pé Grande, marido da Clementina, é representado pelos cinco. A diretora usou a personalidade de cada ator para retratar as facetas do Albino: romântico, preguiçoso, maduro, criança, etc. “Não há truques, os atores não saem de cena. Utilizo o jogo teatral e pelo movimento, quase um ballet sem coreografia, consigo dar linguagem ao movimento de cena”, esclarece Duda.

São 25 músicas, nem todas cantadas na íntegra, acompanhas por pandeiro, cavaquinho, violão, tantã, flauta e tambor. Vidal Assis, músico parceiro do Hermínio Bello de Carvalho, participa do espetáculo e compôs uma música inédita para a peça. Os atores/músicos se revezam em formação variada. Normalmente os musicais mostram atores cantando com uma banda de suporte, porém em “Clementina, cadê você?” são seis pessoas que fazem tudo: cantam, interpretam, tocam e dançam. “O espetáculo é simples, não tem a estrutura dos grandes musicais. Clementina, Cadê Você? tem força, tudo na base da simplicidade”, diz o diretor musical Pedro   Miranda. 

Com 30 anos de carreira, pela primeira vez Ana Carbatti é a protagonista de um musical. “A Duda trabalhou muito na direção do movimento, isso me ajudou na composição da personagem e também da postura. Tenho 43 anos e a peça começa com uma cena onde a Clementina tem 30 ou 40 anos a mais que eu. Apesar disso, o processo de construção da personagem me pareceu muito natural, fácil, orgânico, pois não buscamos imitar a Clementina. Procuramos a essência dela através da música, isso foi fundamental. Não tentamos copiar. Encontramos a Clementina dentro da minha voz, pois nosso timbre não é igual. A idéia era buscar a sonoridade dela, o jeito de cantar, os trejeitos e movimentos”, finaliza a atriz. O espetáculo foi contemplado com o Prêmio FUNARTE de Teatro Myriam Muniz 2012.

FICHA TÉCNICA

 

Idealização: Cristiano Salgado 

Texto: Pedro Murad    

Direção: Duda Maia

Elenco: Ana Carbatti, Bruno Barreto, Diego de Abreu, Sergio Kauffmann, Vidal Assis e Wendell Bendelack

Direção musical: Pedro Miranda 

Cenário e figurinos: Clívia Cohen 

Iluminação: Renato Machado 

Diretora assistente: Letícia Medella 

Preparação vocal: Carol Futuro 

Engenharia de som: Branco Ferreira 

Operador de som: Branco Ferreira

Operadora de luz: Tamara Torres 

Diretor de palco: Rodrigo Ferreira 

Fotografia: Pedro Murad

Design: Luiz Arbex

Direção de Produção e Produção executiva: CultConsult / Elaine Moreira e Maria Inês Vale

Realização: Espaço de Dança Cristiano Salgado

Produção local em Belo Horizonte: Rubim Produções

 

- Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=2fnxabfJ-_Y&feature=youtu.be

 

SERVIÇO

Espetáculo: Clementina, Cadê Você?

Gênero: musical

Theatro de Câmara Brasil Vallourec

Endereço: Av. Amazonas, 315, Centro, Belo Horizonte - MG

Dias e horários: dia 07 de maio – 18h e 20h / dia 08 de maio – 18h e 20h

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia)

Telefone: (31) 3201-5211

Duração: 80 minutos 

Classificação indicativa: 12 anos

Informações para a imprensa: AB Comunicação

Jozane Faleiro - (31) 992046367 - 35676714 - jozane@ab.inf.br





Comentários