Eventos

5º Encontro da Rede Terreiro Contemporâneo de Dança

O 5º Encontro da Rede Terreiro Contemporâneo de Dança acontece entre os dias 26 a 29 de setembro, e envolve ciclos de discussão e mostra de espetáculos, que acontecem no Teatro Espanca, no TeatroJoão Seschiatti, no Parque Municipal Américo René Gianetti, no SescPalladium e no Tambor Mineiro, em Belo Horizonte - MG.

Confira a programação:

26/09/2017 | Terça-feira

Ciclo de discussões sobre estéticas contemporâneas na dança negra - Encontro de abertura
10h às 12h - Teatro Espanca

Casa de Ferro _ BA
Sinopse: O espetáculo “Casa de Ferro” traz a temática da diáspora africana, com uma vigorosa representação física e sonora do interprete Maurício Assunção, o qual vivência e expõe a dolorosa passagem do povo africano, personificando o nascimento, a raiz (Terra Mãe), a captura, a travessia, o cativeiro, a evangelização, a resistência, o castigo, a morte e a transcendência metafísica.
16h30 - Teatro João Seschiatti



Mozzart Negro
Joseph Bo(u)logne, o Chevalier de Saint-George (Baillif ,Guadalupe, 25 de dezembrode 1745 — Paris, 10 de junho de 1799) foi uma das figuras mais importantes na cena musical da segunda metade do século XVIII. Conhecido popularmente por "Mozart Negro", foi um dos primeiros músicos na Europaconhecido por ter ascendência africana. General de Napoleão, exímio esgrimista, excelente dançarino e um musicista sensacional.
18h30 - Teatro Espanca


Dandara
Negro. Drag queen. Ator. Cidadão. Num show documental, Anderson Danttas visita Dandara, revelando em capítulos os caminhos de montação como resposta a expressão “isso não é coisa de negão”!
20h30 - Teatro Espanca
 
 
27/09/2017 | Quarta-feira
 
Ciclo de discussões sobre estéticas contemporâneas na dança negra - Roda de conversa
10h às 12h - Teatro Espanca
 
Encruzilhada
“Encruzilhada” é um espetáculo de dança sobre a atualidade, a ressignificação da ancestralidade, os espaços urbanos e propostas de numa nova consciência corporal e política, em movimento propõe um ato de resistência das periferias, dos mestres da cultura popular e do Hip Hop pouco reconhecidos. 
15h - Parque Municipal
 
 
Oficina/ShoW de Djembé
A Roda de Djembê é uma ação implementada em Belo Horizonte, desde 2011, pelo bailarino, coreógrafo Evandro Passos, juntamente com os bailarinos da Associação Sociocultural Bataka. A proposta é reunir pessoas que querem e gostem de tocar Djembê ou outros instrumentos de percussão. Assim, esta proposta é ressaltar a importância do ritmo percussivo em aulas de danças de matriz africana.
16h - Parque Municipal
 
 
Maravalhas
MARAVALHAS é a raspa da madeira, resíduo de beneficiamento de qualquer tipo de madeira esculpida. Ao esculpir o movimento revisitando motrizes afro-brasileiras resignificando-as, o espetáculo oference um jogo de experimentação na busca pela contemporaneidade dos repertórias corporais nas tradições do Candomblé e da Capoeira Angola.
18h30 - Foyer do Sesc Palladium
 
 
Bantu
“BANTU” é uma reflexão sobre o legado deixado pelos povos bantos e sua contribuição para o desenvolvimento da cultura brasileira e baiana, num cruzamento de características e informações, onde a cultura, comida, religião, costumes identificam e fazem parte da obra. Propõe uma dança de matriz africana contemporânea que traça vários caminhos onde os ritmos e as danças tradicionais tomam outras formas, onde as influências culturais deixadas como herança geram movimento e onde uma África atual, longe dos estereótipos, surge como uma questão.
20h30 - Grande teatro do Sesc Palladium
 
 
28/09/2017 - Quinta-feira
 
Ciclo de discussões sobre estéticas contemporâneas na dança negra Roda de conversa
10h às 12h - Teatro Espanca
 
En(cruz)ilhada
"Assim que nascemos nossas cabeças são colocadas na mira de uma bala que segue nos matando lentamente: a morte social, a morte cultural, a morte financeira, a morte estética, a morte psicológica. A morte nos invade, nos extermina e nos põe em uma cruz de braços abertos. Ela nos deixa sem escolha, sem opção. Nos dilacera e nos abate pouco a pouco, nos levando a uma encruzilhada. No lugar onde se cruzam dois caminhos, também a morte se esbarra, nunca estaremos sozinhos.
En(cruz)ilhada é um monólogo onde a vítima não está isolada e é conduzida a várias formas de morte. Nesse processo você pode estar dos dois lados. Na encruzilhada da vida e da morte, não espera-se nada: o que se vê é uma aniquilação absoluta"
15h - Parque Municipal
   
 
Cheiro de Manga
Cheiro de Manga propõe uma viagem até Toubab Dialaw, pequena vila localizada ao sul de Dakar, capital do Senegal na costa oeste da África. Através dos sons, das cores, dos cheiros e do movimento, cria-se a memória. Criar memória é criar imaginário. Assim, o espetáculo busca contar histórias, vivenciar experiências e redescobrir os caminhos de terra batida da pequena vila de pescadores e seus arredores. Espetáculo criado a partir da vivência da artista na Ecole des Sables- Senegal.
18h - Teatro Espanca
 
 
Definitivo é o fim
A vida é uma sucessão de estados provisórios. Não há o definitivo. O definitivo é o fim.
20h30 - Grande teatro do Sesc Palladium
 

29/09/2017 - Sexta-Feira

Ciclo de discussões sobre estéticas contemporâneas na dança negra Roda de conversa
10h às 12h - Teatro Espanca




Comentários